.

.

HIPERTENSÃO ARTERIAL


Pressão alta 2ª parte 
 Tratamento



Sempre que se faz um diagnóstico de hipertensão, deve-se fazer uma bateria de exames específicos a fim se saber a origem dessa pressão alta. A avaliação médica é de suma importância para o diagnóstico e início de tratamento. Algumas coisas já podem ser feitas antes mesmo de um diagnóstico:
- Suspender o excesso de sal na alimentação;
- Sair do sedentarismo;
- Perder peso;
- Evitar o consumo de gordura animal;
- Abandonar o uso do cigarro e o consumo de álcool.
Caso você suspeite de pressão alta, verifique diariamente sua pressão em condições de repouso, por pelo menos 15 minutos, na parte da manhã e a noite por 15 a 20 dias. Anote num caderno e assim que for à consulta médica, leve estas anotações, pois elas serão de suma importância no diagnóstico e no tratamento.
Ao sentir os sinais e sintomas da pressão alta, principalmente cefaleia (dor de cabeça), dor no peito, dor em região dorsal, falta de ar, distúrbios visuais, alteração do nível de consciência, convulsão, náuseas, vômitos ou alteração renais, busque imediatamente um atendimento médico, pois chamamos isso de crise hipertensiva e o tratamento tem que ser imediato.
Ao serem prescritas as medicações pelo médico, elas devem ser usadas de uma forma contínua e em qualquer situação. Dê preferência a ingestão da primeira medicação do dia na parte da manhã e se possível antes mesmo de sair da cama, só assim você evitará esquecer de tomá-la quando começar suas atividades diárias.
Outro ponto importante a saber, é que a pressão geralmente é mais agressiva na parte da manhã, período em que mais ocorrem as sequelas desta doença. Independente do que você vá fazer durante o dia, primeiro tome o remédio, mesmo que for fazer algum tipo de exame, principalmente o exame de sangue. Em hipótese alguma deixe de usar seus remédios da pressão, a não ser orientada por um profissional da saúde.
Sabemos da dificuldade da adesão dos pacientes, principalmente os mais pobres e sem instrução, porém pedimos a estes que tirem suas dúvidas com o médico sobre o uso destes remédios. Atualmente os medicamentos da pressão alta são fornecidos pelo governo, então só ficam sem tomar os comprimidos, aqueles que não estão preocupados com a sua saúde.
Dieta alimentar:
- Não utilizar sal na preparação dos alimentos;
- Usar temperos como alho, cebola, óleo, cheiro verde, limão, vinagre, manjericão ou outro condimento que não contenha sal;
- Utilizar gorduras de origem vegetal, como óleo de soja, milho, canola, azeite e creme vegetal sem sal;
- Prefira biscoitos, torradas, pães (sem sal) e cereais como: aveia, centeio, integral.
Numa consulta em ação social, oriento o paciente sobre a importância de usar a medicação e a hora de administração. Também não deixo de falar sobre as sequelas que podem advir, infelizmente muitos já aparecem com algumas delas.



Este texto faz parte do livro MISSIONÁRIOS DA SAÚDE EM AÇÃO, para adquirir esta obra


e ajude o Grupo Missionários da Saúde em suas ações sociais em comunidades carentes



Pressão alta 1ª parte

A hipertensão arterial ou mais conhecida como pressão alta, é uma doença silenciosa na maioria das vezes e é sem dúvida nenhuma a queixa mais comum numa ação social. Sua principal característica é apresentar valores de pressão acima do que se considera normal e em condições de repouso.

A pressão normal geralmente fica entorno de 12 por 8, mas ela pode oscilar dependendo da história e da idade do paciente. Numa criança a pressão é quase sempre menor que 12 x 8 e num idoso pode ficar acima desse valor e ser considerado normal.

Concluo que nunca se deve avaliar a pressão somente pelo seu valor, mas também pela idade e história do paciente.

Hoje em dia aumenta cada vez mais o número de pessoas com esta doença, seja pelo aumento da expectativa de vida, pela obesidade, alimentação inadequada, uso inadequado de medicações, sedentarismo e a comodidade da vida atual, como transportes, computadores e alimentos prontos. Inclusive aumentou consideravelmente os valores pressóricos em crianças e adolescente. A hipertensão está iniciando cada vez mais cedo na vida do homem moderno. Alguns afirmam que 30% dos adultos são ou serão hipertensos.

A pressão alta pode estar presente e assintomática por até 15 anos, tempo suficiente para causar graves sequelas num paciente sem tratamento. Quando ocorrem sinais ou sintomas, os mais comuns são: Cefaleia, zumbidos, tonteira, palpitações, dispneia ao esforço (falta de ar) e alterações do sono. A dor de cabeça mais comum é aquela na parte de trás da cabeça e na nuca.

O que leva uma pessoa a ter alteração anormal da pressão, são problemas renais, endócrinos, cardiovascular, gravidez, distúrbio nervoso, alcoolismo, drogas e medicamentos, obesidade e no caso mais comum, ocorrendo com a maior parte dos adultos, é de origem desconhecida, podendo ser genética e envelhecimento natural do corpo.

Consideramos também para o surgimento da hipertensão, fatores de risco como idade acima de 60 anos, história familiar de doença arterial coronariana, tabagismo, dislipidemia (colesterol alterado) e diabetes.

As principais sequelas de uma pressão alta não tratada são: o AVC que muitos conhecem como derrame, a retinopatia que causa cegueira e aneurisma. Alguns problemas no pulmão como embolia pulmonar e edema agudo. Problemas no coração como o infarto, a angina e o coração grande. Poderá haver também sangramentos nasais e digestivos.

Continua com a 2ª parte - tratamentos



Francisco de Assis D. Maél
Médico & Escritor
Tel: (21) 99175-0690
Outras obras do autor:
Compra-se vida – Ficção religiosa
Fragmentos de uma vida – Autobiografia
Áxis a síndrome sagrada – Ficção Científica
Missionários da saúde em ação – Orientação à saúde
MANA-YAM e a árvore de amigos - Infantil
Historinhas que ninguém lê - Contos
O dia da minha morte – Romance
Num piscar de olhos – Romance
Dívidas de gratidão – Romance
Senhor X – Romance
Postar um comentário